Rádio Cenecista de Picuí

domingo, 18 de junho de 2017

Suplente com pouco mais de 2 mil votos poderá representar os paraibanos na Câmara Federal

Elvis é o primeiro suplente da coligação e irá representar os paraibanos em Brasília, caso André Amara tome posse como ministro da Cultura
Reprodução
Evisnaldo Andrade
O primeiro suplente do PMDB, Evisnaldo Andrade, conhecido por Elvis, que teve 2.111 votos, o equivalente a 0,11% dos votos paraibanos, poderá ser empossado e assumirá cadeira efetiva na Câmara Federal, caso André Amaral (PMDB) seja conduzido ao ministério da Cultura. O nome do jovem peemedebista está entre os mais cotados para fazer parte da cúpula do presidente Michel Temer (PMDB).


Como diria no popular, ‘Elvis não morreu’ e poderá representar os paraibanos em Brasília. O sucessor de André Amaral, que foi candidato com o número 1500, ficou na posição 42º entres os candidatos a deputado federal pela Paraíba. Ele fez parte da coligação composta apenas pelo PMDB, a Renovação de Verdade.

O provável mais novo deputado federal paraibano é natural de João Pessoa, tem 57 anos e é servidor público estadual. Entre os peemedebistas que disputaram uma vaga na Câmara federal, Elvis ficou na 5ª posição e teve 175.569 votos a menos que o primeiro colocado do seu partido, Veneziano Vital do Rêgo, que foi escolhido por 177.680 mil eleitores paraibanos.

O ministério da Cultura está sem ministro desde a saída de Roberto Freire (PPS), que deixou o cargo após as denúncias contra o presidente Michel Temer. Quem estava interinamente no comando da pasta era o ministro interino João Batista Andrade, que na sexta-feira (16) entregou o cargo.

André Amaral obteve 6.552 votos no pleito de 2014, em que ocupava a primeira suplência, antes de ocupar em definitivo a cadeira que era de Manoel Júnior (PMDB), que deixou o cargo para ser vice-prefeito de João Pessoa.

Blog do Gordinho

Para postar um comentário:

“É livre a manifestação de opiniões, sendo vedado o anonimato”